Twitter response:
Bom para Criança

Tag: infância

Por trás das telas: Entrevista com Beth Carmona

O que observar na hora de escolher conteúdos digitais para o seu filho? “Tudo é uma questão de equilíbrio. Essas ferramentas podem ajudar e podem desenvolver até habilidades cognitivas. Retirar essas possibilidades das crianças, ou afastar delas esses devices por medo é uma bobagem. Porque por uma via ou outra as crianças estão nesse mundo, e a sociedade que a gente vive é essa.”

Crédito: Gal Oppido/ Reprodução Internet

Crédito: Gal Oppido/ Reprodução Internet

Quando assistimos aos programas de televisão infantil, muitas vezes não paramos para pensar nas pessoas envolvidas em sua criação e produção. No Brasil, uma das maiores especialistas nesta área é Beth Carmona, que começou sua carreira na década de 1990 como Diretora de Programação da TV Cultura e envolvida na produção de sucessos como “Rá-tim-bum”, “Castelo Rá-tim-bum” e “Confissões de Adolescente”.

Beth Carmona também trabalhou na Discovery Latin America, na The Walt Disney Company Brasil, como presidente da TVE RJ-Brasil por quase cinco anos, além de prestar consultoria para canais como Gloob e Discovery Kids. Uma vasta experiência que lhe deu bagagem para alçar voos maiores e lançar o ComKids, uma plataforma digital que propõem discutir a produção de conteúdos digitais, interativos e audiovisuais de qualidade para crianças e adolescentes, com foco no Brasil e na América Latina. Entre as atividades de maior destaque do ComKids, está o Festival Prix Jeunesse Iberoamericano, realizado desde 2009 em colaboração com a edição internacional que acontece na Alemanha.

Veja mais em www.comkids.com.br

Já há alguns anos acompanho o trabalho do ComKids pela internet, e tive o prazer de conversar com Beth Carmona durante o Rio Content Market, onde ela mediou várias palestras sobre produção de conteúdo digital para crianças e adolescentes, entre novos projetos de séries de TV, aplicativos e games. Divido com vocês a seguir um pouco desta conversa.

Bom para criança: O que os pais devem observar na hora de escolher conteúdos digitais para mostrar para o seu filho?

Beth Carmona: É engraçado, pois eu sinto que ainda existe uma barreira muito grande, e uma dúvida dos pais em relação a que tipo de conteúdo eles vão assistir na internet, ou opiniões como “Eu não deixo o meu filho assistir vídeos na internet” assim como existia há alguns anos a postura “Eu não deixo o meu filho assistir televisão” ou “Eu não deixo meu filho jogar vídeo game.”

Enfim, eu acho que tudo é uma questão de equilíbrio. Essas ferramentas podem ajudar e podem desenvolver até habilidades cognitivas. Retirar essas possibilidades das crianças, ou afastar delas esses devices por medo é uma bobagem. Porque por uma via ou outra as crianças estão nesse mundo, e a sociedade que a gente vive é essa.

Informação é tudo. Os pais precisam se informar, conversar, trocar ideias. E hoje é tão bom a gente ter acesso ao conhecimento e à informação de uma maneira tão imediata. Todo mundo tem. E as crianças já nascem com essa habilidade.

O que a gente precisa ensinar para os nossos filhos é saber o que escolher, da mesma forma como quando vamos a uma feira e precisamos separar o que é bom do que é ruim. O que é qualidade? Onde encontro qualidade? Essas são as perguntas que os pais devem se fazer, e são exercícios que fazemos muito dentro do ComKids.

Bom para criança: Como surgiu o ComKids?

Beth Carmona: O ComKids nasceu de uma iniciativa da ONG Mídia Ativa, fundada por mim, num momento em que tive uma intensa experiência com produção de séries de televisão na TV Cultura, nos anos 1990. Eu acredito que a gente fez uma história linda lá dentro, produzindo, programando e descobrindo as crianças na televisão. Numa época em que a TV Aberta relegava as produções infantis para o horário da manhã, sem entender que criança estava por trás e que existia inteligência no mundo infantil.

O Mídia Ativa foi inspirado em algumas experiências internacionais que eu tive a sorte de participar, algumas fundações e grupos profissionais que trabalham com criança, e essa é uma comunidade muito apaixonada que se encontra em vários lugares e vai trocando experiências, evoluindo, discutindo linguagens.

Quando o ComKids nasceu como selo, o objetivo não era só falar de televisão, mas falar de uma maneira geral o que é produzir conteúdo infantil nas mais diversas plataformas, com que tipo de preocupação, com que tipo de realidade, com que tipo de cuidado, ética responsabilidade. O ComKids está sempre discutindo entretenimento e educação, mas também falando de criatividade e de linguagem.

Bom para criança: Quais são as principais atividades promovidas pelo ComKids?

Beth Carmona: O ambiente da plataforma ComKids acolhe produtores, criadores, educadores, pessoas que se interessam por este assunto e que de alguma forma querem entrar em contato, trocar experiências e saber o que está acontecendo. Tempos um caráter informativo, mas também temos um caráter de formação pois realizamos seminários, workshops e publicações que são disponibilizadas no site gratuitamente.

A nossa comunidade está focada principalmente naqueles que produzem conteúdo para crianças em português e em espanhol, pois acreditamos que a nossa cultura precisa estar melhor representada, e a gente acha que a América Latina tem um jeito de educar, de ver e de criar que pode contribuir e muito para um debate global sobre o assunto. O selo ComKids foi criado em 2009 e estamos indo para o sétimo festival ComKids Prix Jeunesse.

por Silvia Dalben

A Lancheira do Milo | 3+

A Lancheira do Milo é um aplicativo que ensina as cores, as letras, as formas e a contar, numa dinâmica bem divertida

a-lancheira-de-milo-f18820-h900

A Lancheira do Milo é um aplicativo simples, divertido e educativo ao mesmo tempo, que tem como público-alvo crianças em idade pré-escolar. É um jogo que funciona em ciclos, e vai alternando as atividades de forma randômica, desafiando e estimulando as crianças a contar, identificar letras, cores, associar imagens iguais no jogo da memória e a organizar as formas em um quebra-cabeças.

Um dos principais pontos positivos deste aplicativo é o desenvolvimento do raciocínio lógico, mas de uma forma lúdica, simples e positiva que não irá desafiar as crianças além do limite apropriado para a idade.

Milo é um macaquinho bem alegre e animado que está sempre estimulando as crianças a aprenderem coisas novas. E a cada tarefa executada, a um reforço positivo, com Milo batendo palmas, dando cambalhotas, dando para as crianças adesivos que serão colados em um mural e vão indicar as etapas que já foram vencidas.

Sobre o aplicativo

A Lancheira de Milo é um aplicativo desenvolvido pelo estúdio Thup, localizado em Nova York, e o legal é que já possui a versão traduzida para o português. A trilha-sonora também é um ponto positivo do aplicativo, super animada, cheia de ritmos e que lembra um pouco o jogo Donkey Kong da Nintendo. E outro ponto bem positivo é que este aplicativo apresenta uma variedade de frutas para as crianças, num universo que indiretamente estimula a uma alimentação saudável e diversificada.

A LANCHEIRA DE MILO

Público-alvo: 3+ | Crianças em idade pré-escolar
Download: Disponível na Google Play, na Apple Store e na Amazon Store
Valor: R$ 5,06 na Google Play e US$ 1,99 na Apple Store e na Amazon Store

PARA CONVERSAR COM AS CRIANÇAS

  • É bem possível que você acompanhe seu filho nas primeiras vezes com o aplicativo. Aproveite para estimulá-lo a contar os objetos em voz alta e a reconhecer as frutas que são apresentadas em cada uma das tarefas do jogo
  • Outros conteúdos que pode ser estimulado pelos pais são a identificação das cores, das formas geométricas e das letras iniciais de cada uma das frutas que são apresentadas.

por Silvia Dalben

O Balão Vermelho | 7+

Este curta metragem francês lançado em 1957 pelo diretor Albert Lamorisse conta uma história atemporal da amizade entre um garoto e seu balão vermelho.

0512-Tombe1

 

O Balão Vermelho (The Red Balloon) é um clássico curta metragem francês que conta a história de um menino e seu balão vermelho, com uma narrativa de poucos diálogos que o torna um filme atemporal e universal.

Tendo como cenário Paris nos anos 1950, o jovem menino Pascal encontra um grande balão vermelho atado a um poste de luz e decide desamarrá-lo. Neste momento, inicia uma forte ligação entre o garoto e o balão, que passeiam juntos e brincam pelas ruas da cidade. A cada cena, o balão ganha vida e personalidade, sendo um personagem tão real quanto o garoto.

Apesar de ser indicado para crianças de 7 anos, este filme atrai a atenção também de crianças mais novas, que se identificam com a pureza e envolvente história de um menino e seu balão. Já as crianças maiores conseguem entender melhor a narrativa e compreendem de uma forma mais profunda bullying sofrido por Pascal, quando este é perseguido por um grupo de crianças determinado a capturar e destruir o balão.

O BALÃO VERMELHO

Duração: 34 minutos
Lançamento: 1957
Diretor: Albert Lamorisse
Gênero: Drama
Prêmios: Vencedor do Oscar de Melhor Roteiro Original (1956), do Grande Prêmio do Festival de Cinema de Cannes e de Melhor Filme Educativo da Década em 1968.

PARA CONVERSAR COM AS CRIANÇAS

  • Este é um filme bem antigo, filmado há muitos anos atrás. Como é possível perceber isso? Como eram as crianças na época do filme? E a escola? Os meninos estudavam separados das meninas? Como eram as roupas da época? E os meios de transporte?
  • Qual a moral deste filme? Que conclusões podemos chegar depois de assisti-lo? Como era a relação do menino e seu balão? É correto a atitude do grupo de meninos que queria capturar o balão? O que acontece no final?

 

por Silvia Dalben

Sago Mini Ocean Swimmer | 3+

Com o aplicativo Ocean Swimmer, da Sago Mini, as crianças exploram o fundo do mar num endless game ao conduzirem o peixinho para várias direções e definirem com que objetos e animais ele vai interagir.

apps.30510.9007199266329496.ee4bb821-db20-4062-8972-84feb2d0c1fa

O aplicativo Ocean é uma ótima experiência para crianças em idade pré-escolar e está disponível na Apple Store para iPhone, iPad e iPod Touch. Nele, as crianças interagem com um peixinho e juntos eles exploram um fundo do mar infinito. E a cada novo objeto ou animal que eles encontram, uma nova animação acontece, e as crianças se divertem, dão risada, aprendem tarefas normais do dia a dia, como a dar comida para o peixinho, levá-lo para tomar banho, etc.

O mais legal deste aplicativo é a interatividade. A criança escolhe para onde quer ir com o peixinho, e pode repetir quantas vezes quiser uma interação. Nessa idade, as crianças gostam muito de experiências repetitivas, dão risada ao verem uma mesma cena, e neste aplicativo elas podem escolher o que gostam mais e dar risada de uma mesma cena quantas vezes quiser.

É um aplicativo com uma música leve ao fundo, que não agita e nem incomoda, e prende a atenção da criança, ajudando-a a se concentrar. Sua plataforma endless estimula a imaginação e a criatividade, além de também ensinar lógica de narrativa e contação de história, onde cada criança tem a liberdade de definir seu próprio percurso.

Este é o exemplo de um aplicativo legal para crianças na faixa etária pré-escolar e bem diferente de outros aplicativos mais comuns tidos “educativos” que se prendem em estruturas simples e já batidas para ensinar números, formas e o abecedário.

SAGO MINI OCEAN SWIMMER
Público-alvo: 3+ | Crianças em idade pré-escolar
Disponível na Apple Store para iPhone, iPad e iPod Touch
Valor: US$ 2,99

PARA CONVERSAR COM AS CRIANÇAS

  • Procure explorar junto o aplicativo junto com o seu filho, criando uma história ao longo da interação. E depois estimule ele a criar a sua própria história.

  • Antes de clicar em um objeto que irá interagir, que tal perguntar para o seu filho explicar o que ele acha que vai acontecer com o peixinho se você clicar ali?

por Silvia Dalben